Aumento do desemprego no interior do estado

23/11/2016

Reportagem de

 

De acordo com o Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos e a Secretaria de Estado de Assistência Social, trabalho, Emprego e Renda o saldo de desemprego no Estado chega a mil postos de trabalhos.

 

De acordo com o Dieese, a construção civil foi o setor que mais desempregou pessoas no mês de setembro em cidades do interior do estado como de Altamira, Paragominas e Marabá. Se a situação por lá está complicada, em Bragança não é diferente, por aqui, o desemprego tem afetado principalmente os jovens.

 

Lucas de Oliveira, 21 anos e o desemprego batendo a porta. O jovem estudante de São Miguel do Guamá, nordeste do Pará, chegou a Bragança com a expectativa de se formar e consegui um emprego, aqui. Quatro anos se passaram e o futuro professor acredita que há poucas vagas para muita demanda no mercado, com isso, a concorrência só faz aumentar. 

 

Mesmo com a falta de emprego no município, em muitas áreas, a quem tenha a sorte de ter o apoio dos amigos. Joenaldo torres foi indicado por um deles para trabalhar em uma obra. O pedreiro deixou a família em Castanhal para vir para Bragança e não faz a minha ideia do que vai fazer quando terminar o serviço por aqui.

 

Segundo o departamento, com a crise a construção civil teve o maior retrocesso de pelo menos 11.771 postos de trabalhos, seguindo pelo comercio com menos de 6.831 empregos, indústria com perda de 2.354, agropecuária com 544 e de serviços com 507 postos de trabalhos.

Please reload

Em Destaque

Matéria reúne participação de legisladores da base aliada ao governo de Bragança

25/10/2019

1/10
Please reload

Recentes