Mulher é acusada de estelionato por falsa promessa de benefícios

06/04/2017

Reportagem de

 

Tudo parecia já está resolvido para a Maria Eliete Rodrigues Diniz, acusada de estelionato. Em uma reunião ocorrida no dia 14 de março deste ano, na defensoria pública de Bragança, a acusada acompanhada da advogada Maria Ivanilza, como consta este documento, firmou acordo com Clea de Jesus e Maria do Socorro, para o reembolso de R$ 11.800,00 e R$ 2.180,00 respectivamente.

 

Porém, na manhã desta quinta-feira, 06, mais de 15 dias depois, outras vítimas procuraram a unidade de polícias de Bragança com novas acusações.

 

Vítimas que receberam a promessa de facilidades em adquirir aposentadoria, recursos de peculato e de natalidade. Mas para isso, era necessário a contrapartida, em média R$ 500,00.

 

A dona de casa Suelen Rosa foi uma das ajudantes de Eliete. Ela acreditou nas promessas dos benefícios e a tarefa dela era atrair pessoas interessadas, segundo ela, sem saber do golpe.

 

Após o dinheiro da contrapartida, cada vítima recebia uma carta que correspondia ao valor do benefício. Valores que expressivos: R$ 1.500,00, R$ 13.000,00, R$ 35.000,00, daí por diante.

Maria Claudecir foi uma das vítimas.

 

Após muitas cobranças, as vítimas falam que receberam cheques para amortecer os valores. Só que na hora de sacar no banco descobriram que eram sem fundo.

 

Maria Eliete Rodrigues Diniz não quis gravar entrevista. Mas disse a nossa equipe de reportagem que também foi vítima de um terceiro, que segundo ela, já foi denunciado a Policia Civil de Bragança.

 

Ela também afirmou com já entrou em negociação com as vítimas que compareceram em audiência com a defensoria pública. E neste mesmo momento, as vítimas que se apresentaram hoje, não quiseram comparecer, o que achou estranho.

A Polícia Civil de Bragança investiga o caso.

Please reload

Em Destaque

Matéria reúne participação de legisladores da base aliada ao governo de Bragança

25/10/2019

1/10
Please reload

Recentes