Estado de saúde de Jordão piorou com notícia de amigo que foi assassinado

16/11/2017

Reportagem de

 

O pedagogo Jordão Reis Cardoso, 48, morreu por volta de 1h da madrugada desta quinta-feira, 16, no hospital Cristo Redentor, na capital paraense. Ele se recuperava de uma série de complicações na saúde e morreu com uma infecção generalizada.

 

 

No último sábado um grande amigo seu, também professor, foi assassinado. Paulo do Rosário Gonçalves, de 41 anos, foi morto cruelmente em sua residência, por no mínimo 4 pessoas, com golpes de faca. Ele era amigo de Jordão, que soube da noticia por meio da rede social. Quando soube do acontecido, seu estado de saúde só piorou, conforme relata seu irmão, João Cardoso.

 

Segundo familiares, no início do tratamento, Jordão foi diagnosticado com gordura no fígado, logo depois foi identificado pedra no rim, mais tarde a perda da audição. Nos últimos dias, ele adquiriu tuberculose e seu estado de saúde só se agravou com uma infecção generalizada, o que motivou sua morte.

 

Nos corredores da escola aonde ele trabalhou praticamente toda a sua vida em Bragança, os amigos ainda tentavam absorver a perda.

 

Tatiana Santiago e Maria Auxiliadora, administraram esta escola municipal junto ao professor, que assumia o cargo de diretor há pelo menos 4 anos.

 

Jordão era belenense. Morava há 8 anos em Bragança, já foi parte integrante da coordenação do Sintepp do município. Sua dedicação foi tamanha a comunidade que recebeu em 2016 o título de cidadão bragantino.

 

No início da manhã, a secretaria de educação manifestou pesar. E logo em seguida, o governo emitiu uma nota de luto oficial.

 

O corpo deve chegar ao município por volta de 3h da tarde de hoje e será velado na escola municipal Profª Maria José dos Santos Martins – a Maricotinha, aonde ele trabalhava.

Please reload

Em Destaque

Matéria reúne participação de legisladores da base aliada ao governo de Bragança

25/10/2019

1/10
Please reload

Recentes