Audiência discute segurança de presídio de Bragança

03/05/2018

Reportagem de

 

O motim com fuga de detentos que resultou na morte de 5 presos após troca de tiros com a polícia militar no dia 16 de março motivou a audiência pública que ocorreu na manhã desta quarta-feira, 02, na Câmara de Vereadores de Bragança.

 

Entre os convidados estavam a promotora de Justiça Sabrina Calume, a juíza da vara criminal Daniele Modesto, o diretor do Centro Regional de Recuperação de Bragança Celso Melo. Dos 17 vereadores, apenas 10 marcaram presença e um público bem reduzido de populares compareceu na plenária.

 

A finalidade do evento era discutir sobre a situação desumana do CRRB que recebe um público de detentos além do limite permitido.

 

Segundo informações, O presídio de Bragança tem capacidade para no máximo 70 detentos. No momento do motim, mais de 260 estavam presos no local. A superlotação pode ter sido o motivo da rebelião.

 

Além disso, existe a cobrança para que justiça acelere processos de julgamentos que estão parados há muito tempo, pois isto influencia na superlotação da casa prisional.

 

Durante o evento, agentes prisionais e ex-agentes falaram do trabalho insalubre dentro do presídio. A falta de segurança ameaça a vida dos profissionais.

Please reload

Em Destaque

Matéria reúne participação de legisladores da base aliada ao governo de Bragança

25/10/2019

1/10
Please reload

Recentes