Morte de Jairo Sousa completa um mês neste sábado sem apresentação de assassino

20/07/2018

Reportagem de

 

O caso Jairo Sousa segue sem uma resposta positiva para os familiares e sociedade em praticamente um mês de seu assassinato. De lá pra cá, apenas um vídeo do executor foi liberado para que a sociedade pudesse ajudar nas investigações que seguem em sigilo.

 

Diversas pessoas foram ouvidas consideras suspeitas, entre elas empresários e políticos.

A Divisão de Homicídios do Estado do Pará é quem apura o caso. Mas o prazo legal termina neste sábado, podendo ser prorrogado.

 

A morte de Jairo completa neste sábado, 21 de julho, um mês. Durante uma coletiva de imprensa que ocorreu na manhã sexta-feira, 20, na Unidade Integrada de Policias, o assunto foi tocado.

 

A pergunta foi direcionada ao delegado geral adjunto do Estado, Rogério Morais. Conforme sua resposta, tudo indica que as investigações serão prorrogadas. Mas que em breve a sociedade conhecerá o assassino de Jairo Sousa.

 

Jairo Sousa foi morto após ser atingido por dois tiros quando chegava ao seu local de trabalho, no dia 21 de junho, por volta de 5 horas da manhã. Ainda foi levado com vida para um hospital, mas morreu minutos depois.

 

O radialista denunciava ações corruptas de empresários e políticos.

 

O corpo de Jairo foi sepultado na comunidade de Nova Canindé, interior de Bragança.

 

Uma semana depois familiares e amigos foram as ruas exigir das autoridades celeridade nas investigações e cobrar a prisão do assassino e mandante do crime.

 

O caso que ganhou repercussão internacional, teve, inclusive, o apoio da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), que veio ao município acompanhar de perto as apurações e ouviu amigos do comunicador.

Please reload

Em Destaque

Matéria reúne participação de legisladores da base aliada ao governo de Bragança

25/10/2019

1/10
Please reload

Recentes