Caso Jairo Sousa completa 3 meses sem solução

21/09/2018

Reportagem de

 

O caso Jairo Sousa completa nesta sexta, 21, três meses. Ninguém foi preso. A Divisão de Homicídio continua trabalhando de forma sigilosa no caso.

 

Sem aparente solução, os trabalhos acontecem. Nos últimos dias, um grupo de policias da Homicídio esteve no município de Bragança para ouvir novos relatos.

 

Os familiares aguardam respostas e pressionam os trabalhos.

 

Nesta sexta, Veja publicou uma reportagem com o tema "Quem matou e quem mandou matar Jairo de Sousa?", que conta detalhadamente sobre as apurações feitas até agora, com a ajuda da Abraji, Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo.

 

A reportagem apresenta informações novas da investigação, como, um segundo veículo envolvido durante a execução.

 

Segundo a matéria da Veja, havia “um segundo carro que ficou parado próximo ao portão que dá acesso a uma escada no antigo prédio sem elevador, onde a rádio está instalada, no quarto andar. Além de dar cobertura ao assassino, a função dos ocupantes do carro seria a de identificar o radialista”.

 

Até então, apenas um veículo tinha sido identificado, justamente o usado pelo assassino, como mostra este vídeo de um sistema de monitoramento.

 

A revista também fala das pessoas que foram ouvidas durante o processo de investigação, incluindo empresários e políticos do município de Bragança.

 

Falou também do percurso do radialista um dia antes de sua morte, apontado como lacuna no processo investigativo.

 

“Algumas lacunas ainda precisam ser preenchidas para reconstituir o que aconteceu depois que ele saiu da rádio, pouco depois das 9h. De lá, ele percorreu 103 quilômetros de Bragança até Igarapé-Açu, passando por Capanema, Peixe-Boi e Timboteua. No entanto, esse trajeto levou mais tempo do que o habitual. Segundo o delegado Dauriedson da Silva, que integra a investigação, há um intervalo entre 9h e 15h no qual ainda não se sabe onde o radialista esteve, já que teria chegado a Capanema, que fica a 53 km de distância de Bragança, depois das 15h.”

 

Neste mesmo dia, antes deste trajeto, Jairo Sousa havia prometido em seu programa na rádio Pérola que iria denunciar um vereador.

 

Segundo consta na reportagem “Jairo de Sousa avisou que, no dia seguinte, iria revelar o nome do vereador que estava negociando a distribuição do Cheque Moradia. O benefício de R$ 15 mil seria entregue a moradores que perderam suas casas na inundação de maio de 2018.”

 

A reportagem relatou sobre os relacionamentos do radialista, das ligações feitas a ex-esposa, a quem Jairo mantinha bom relacionamento.

 

A reportagem completa está no site da revista Veja. Clique aqui.

 

As investigações demandam tempo pela sua complexidade. Mas os policiais garantem que haverá conclusão. Pelo menos é o que todos esperam, de uma morte tão cruel e covarde.

Please reload

Em Destaque

Matéria reúne participação de legisladores da base aliada ao governo de Bragança

25/10/2019

1/10
Please reload

Recentes