Antônio Sergio Barata é condenado a 33 anos de prisão pela morte de Pethrus Maia em Bragança

14/11/2018

Reportagem de

 

Foram quase 20 horas de julgamento até o veredito final de pena máxima de 33 anos de reclusão ao ex-oficial de justiça Antônio Sérgio Barata da Silva, de 58 anos, pela morte de Pethrus Maia de 4 anos de idade.

 

A juíza criminal Cinthia Walker Beltrão Gomes, da Comarca de Bragança, que presidiu o julgamento, ouviu 15 testemunhas de acusação e apenas 02 de defesa do réu.

 

Em defesa dos familiares da vítima estavam os promotores de justiça Bruno Beckembauer e Daniel Barros. E em favor do acusado o defensor público Renan França.

 

Para o processo foram indicados 25 jurados, e através de sorteio 7 foram selecionados, quatro homens e 3 mulheres.

O julgamento que começou as 9h da manhã de terça-feira, 13, foi concluído por volta de 1h30 da madrugada, com a leitura da sentença. Antônio Sergio Barata foi condenado por homicídio qualificado, ocultação de cadáver e outros agravantes.

 

Segundo os altos, Antônio Sergio Barata se aproveitou da relação extraconjugal que teve com a mãe de Pethrus meses antes do assassinato para se aproximar da vítima.

 

A criança desapareceu de sua residência no dia 19 de abril de 2008, após uma visita de Antônio Sérgio Barata, o corpo foi encontrado dois dias depois em um lago conhecido por Buracão, localizado na PA 458, nas mediações de Bacuriteua, interior de Bragança.

Please reload

Em Destaque

Matéria reúne participação de legisladores da base aliada ao governo de Bragança

25/10/2019

1/10
Please reload

Recentes