Estrutura de concreto de cais da Orla de Bragança se rompe

09/04/2019

Reportagem de

 

As chuvas contribuíram para o processo de erosão, o que ocasionou o desabamento de parte da estrutura de concreto do cais de arrimo da orla do Caeté na tarde de sexta-feira, 05 (da semana passada), que recentemente recebeu alto investimento.

 

Como consequência uma enorme cratera se abriu e parte do sedimento está indo direto pro rio.

 

Com o ocorrido o local foi isolado. Mas a fita de sinalização se rompeu com o forte vento. Mesmo diante do estado crítico do espaço, pessoas caminham por perto como se não houve nenhum risco.

 

Considerado como um dos agravantes pela prefeitura, as embarcações usam a estrutura como 'atracamento'.

 

No mesmo dia da queda, o vereador Rivaldo Miranda usou sua página de facebook para denunciar.

 

Segundo ele, “No final de março de 2017, mesmo não licitada, a Prefeitura iniciou a obra do muro de arrimo/contenção na Orla de Bragança, custeando todo material de construção. Na época o secretário de infraestrutura, acompanhou todo o processo. Com a obra já adiantada, a gestão resolveu fazer processo licitatório no dia 24/05/2017, com 2 meses após a obra iniciada”. Rivaldo ainda publicou “que somente a empresa do ex-secretário de obras apareceu e apresentou proposta. Para a obra a prefeitura disponibilizou R$ 1.483.815,70”, e propondo a empresa licitada a fazer por um pouco menos R$ 1.464.799,43”.

 

Orçada neste valor, a obra iniciada em 02 de junho de 2017, teria prazo de 180 dias. Terminando o prazo, um novo foi estabelecido, e até agora não há previsão de conclusão da obra.

 

Segundo o vereador, do valor total referente ao serviço, a prefeitura já empenhou mais de R$ 1 milhão e 100 mil.

 

Em resposta as acusações sofridas em redes sociais, a prefeitura imediatamente usou os mesmos espaços para se defender e emitiu uma nota sobre o fato.

 

Segunda a nota, obra de contenção que cedeu não é da atual gestão, mas da gestão de José Diogo. E disse ainda, que a obra atual, em nada influencia a estrutura antiga. Que diante da fatalidade será feito laudo e alguns pontos centrais serão averiguados, entre eles: o excesso de peso na terra, por causa da forte chuva. Que a corrosão de parte da estrutura de concreto armado, que ajudava a sustentar o bloco, que cedeu. A prefeitura afirma que os barcos atracados influenciam com a pressão um esforço extra não previsto contribuindo com o ocorrido.

 

Na nota, a prefeitura repudia as acusações feitas pelas mesmas pessoas, consideradas por ela como “inimigos da gestão”, por serem oportunistas usando até os fenômenos naturais.

Please reload

Em Destaque

Matéria reúne participação de legisladores da base aliada ao governo de Bragança

25/10/2019

1/10
Please reload

Recentes