Um ano da morte de Jairo Sousa e mandantes permanecem soltos

21/06/2019

Reportagem de

 

A morte do radialista Jairo Sousa, de 43 anos, completa nesta sexta, 21 de junho, um ano e o caso segue sem conclusão. Na conta das investigações apenas as prisões dos suspeitos da execução, porém, o apontando por arquitetar, o vereador César Monteiro, está livre através de Habeas Corpus e voltou a sua função no legislativo de Bragança, embora quase não se ver o vereador na Câmara de Bragança, e mesmo assim tem recebido todas as regalias de parlamentar.

 

E os mandantes? Só se sabe que parte das folhas do processo na polícia sumiu, justamente o que citava políticos de Bragança, é o que rola nos bastidores, contestado por Rivaldo Miranda, que era advogado de Jairo.

 

No aniversário da morte do pai, o filho que carrega o mesmo nome, foi trabalhar com a camisa etapa com a foto de Jairo Sousa.

 

A família do radialista que denunciava atos corruptos da política bragantina está desamparada. Quase sem esperança.

 

Jairo Sousa foi executado ao chegar no local de trabalho por volta de 5 horas da manhã.

 

Apesar de uma força tarefa da Divisão de Homicídios do Pará ter assumido o caso até agora as investigações aparentam estancadas e o caso segue impune.

 

Na opinião de Rivaldo, talvez a troca do delegado responsável seja uma alternativa para que o processo ganhe novo fôlego.

Please reload

Em Destaque

Matéria reúne participação de legisladores da base aliada ao governo de Bragança

25/10/2019

1/10
Please reload

Recentes